Machu Picchu era um lugar que sempre esteve na minha wish list, mas por razões diversas a vontade era sempre adiada. Não sei se já comentei aqui, mas muitas de minhas viagens ocorrem por conta da oportunidade. Essa não foi diferente. Costumo seguir sites como o Melhores Destinos, que sempre informam promoções em passagens aéreas. Um dia vi uma tarifa promocional pela TAM para Cusco e não pensei muito em agitar a viagem. O tempo foi curto. Tive pouco mais de 2 meses para ver hotel, e todas as outras coisas relacionadas a viagem. De todas que já fiz, sem dúvida essa foi um pouco cansativa de planejar, mas com a ajuda dos blogs e de alguns amigos que já tinham visitado, consegui montar um roteiro bacana atendendo nossas vontades e necessidades.

Depois de divulgar a promo para os amigos, reunimos 7 pessoas para a viagem. Começamos a saga para a escolha de um bom hotel. A viagem já estava muito próxima, e a localização que queríamos estava difícil conseguir por conta da quantidade de pessoas. Depois de algumas pesquisas consegui através do Hotéis.com o Hotel Terra Andina. Fica localizado cerca de 4 quadras da Praça de Armas, e sua rua fica em frente ao Mercado São Pedro. Super recomendo!

Reserva feita, precisava comprar os tickets para o trem que nos levaria até Águas Calientes, cidade aos pés de Machu Picchu. Pesquisei os horários no site no Peru Rail e fiz a compra dos tickets com um cartão de crédito internacional. Na mesma hora recebi em meu email os vouchers. Na ida pegamos o trem na estação de Ollantaytambo, e na volta desembarcamos em Poroy, por ser mais próximo de Cusco.

Com a data do trem marcada, precisava fazer a reserva do outro hotel (pousada) em Aguas Calientes. Fiz uma rápida busca no Booking.com e não tive dificuldades em encontrar uma hospedagem com um ótimo custo-benefício. Ficamos na Varayoc.

Por fim, o motivo principal da viagem, Machu Picchu. Aí que o negócio complica…rs

 

O ingresso para MP é vendido através do site do governo. Lá você consegue visualizar as datas e disponibilidades. Nós optamos por fazer apenas Machu Picchu. Não tivemos coragem de encarar a Huaynapicchu (aquela montanha gigante no fundo de qualquer foto clássica de MP). A dificuldade para comprar o ingresso fica por conta que o site só aceita os cartões Verified by Visa em suas transações; e aqui no Brasil pouquíssimos cartões possuem esse dispositivo. Tive sorte em fazer uma tentativa com o TAM Itaucard (que não possui o dispositivo e minha compra foi aprovada, mas com um aviso que deveria solicitar ao gerente a senha para novos procedimentos). Ficou tudo resolvido? Não. Eu precisava comprar 7 ingressos, e o site só me liberava a compra de 5 por vez. Como seria necessário habilitar a senha, não pude usar o mesmo cartão. Fui atrás de informações nos blogs e descobri o site Fabulous Peru. Ele é indicado pelo próprio site oficial do Peru como alternativa pra quem não consegue comprar. O pequeno detalhe é que eles cobram uma taxa que aumenta um pouco o preço do seu ingresso. Mas é super seguro e rápido! O pagamento é feito via PayPal. Pra quem não quer ficar perdendo tempo e paciência no site oficial, corre logo pra lá.

 

OBS.: Na época de nossa viagem (2013) não era necessário escolher horário para entrar em Machu Picchu, era livre, você decidia na hora. Hoje as regras mudaram, e é preciso escolher o horário. No site deles tem todas as informações bem explicadinhas.
 Agora umas dicas de ouro:
  •  Moeda – leve dólar e faça lá o câmbio para Soles (moeda local). Não leve notas velhas, eles não aceitam de jeito algum. Muitos passeios aceitam o dólar como pagamento, mas é claro que o troco é em Soles. Levei um pouco de real também, em caso de emergência. É aceito em algumas casas de câmbio para troca, mas não há valorização.
  • Soroche – Para evitar o temido mal da altitude eu me preveni de todas as formas possíveis. Antes da viagem fui ao Otorrino e ele me indicou medicamentos pra amenizar minha rinite e caso precisasse utilizar lá, se viesse a sentir o mal estar. O ideal é repousar assim que chegar. Fazer uma refeição leve e tomar o chá de coca. Graças a Deus não senti nadinha. Antes de a dor de cabeça pensar em aparecer, eu tomava o analgésico recomendado pelo médico (no meu caso, Neosaldina).

    Chá de coca

     

    Primeira refeição em Cusco

     

  • Táxi – Gente o táxi lá chega a ser ridículo de tão barato! Mas fique atento e negocie a corrida antes mesmo de entrar. Lá não tem taxímetro, é tudo na conversa.

  • Clima – Pesquise o clima na data de sua viagem. Durante o dia fez sol e esquentou, mas simplesmente do nada faz um frio que só Jesus! Leve pashimina na bolsa sempre! Roupas leves e confortáveis, pois o que mais você vai fazer é andar. Como uma mula.

  • Seguro viagem – Não viajo sem. Ainda mais eu cheia de medo que estava do tal do soroche, rs.

Nos próximos posts farei o roteiro detalhado do que fiz a cada dia. Fica mais fácil caso vocês queiram se basear nele.

 

Seguem abaixo algumas fotos do hotel em Cusco.

 

TERRA ANDINA HOTEL
Unión 184, Cusco 08000, Peru
Subir