Jericoacoara, ou Jeri para os mais íntimos sempre esteve na nossa lista de desejos, mas por inúmeros motivos, a viagem nunca se concretizava. Até outubro passado. Por conta do trabalho do Vinícius, quase nunca é possível planejar uma viagem com antecedência, com exceção das férias. Aproveitamos o feriado de 12 de outubro que fomos padrinhos num casamento um dia antes, e a folga no trabalho estaria garantida.

Fizemos uma lista de alguns lugares onde poderíamos curtir em 4 dias, que era o tempo que tínhamos disponível. Após buscas de passagens, batemos o martelo pra Jeri. E que escolha acertada!

Nosso voo foi Rio – Fortaleza, e da capital até Jeri são cerca de 300km. Vejam só quais as opções pra chegar até lá:

 

  • Transfer 4×4 privativo – O mais cômodo e também o mais caro. Ida e volta custa em média R$1.200,00 o carro, sendo possível transportar até 4 passageiros. Se você tiver com mais amigos, vale a pena essa opção. Eles te esperam no aeroporto e te levam até sua pousada. A viagem leva cerca de 4h.

 

  • Ônibus + Jardineira – Uma opção bem mais barata e também confortável é o ônibus da Fretcar. Ele tem saída de 3 pontos de Fortaleza e vai direto até a cidade de Jijoca. De lá o trajeto é feito numa jardineira até a sua pousada. Jeri é uma pequena vila e não entra ônibus, somente carros autorizados. Para a volta é necessário dirigir-se até a loja da Fretcar, que fica numa rua central de Jeri. Os valores variam entre R$72,90 e R$83,00 cada trecho, dependendo do horário escolhido. A Viagem leva cerca de 5h.  

 

  •  Carro particular – Não acredito ser a melhor opção, mas há quem prefira. Parte do final do trajeto de Jijoca até Jeri é feito pela praia. É necessário um carro 4×4, ou ficará na pista literalmente. Além disso, como falei acima, na vila de Jeri só entram carros autorizados, sendo necessário deixar em um estacionamento público.

 

Quando compramos nossos bilhetes, já estava em operação o Aeroporto Regional de Jericoacoara, que na verdade fica localizado na cidade de Cruz; mas ainda não tinham voos disponíveis com saída do Rio, somente de São Paulo e eram fretados pela CVC. Acredito que agora já é possível comprar direto pela cia aérea. Pesquise pela Azul e Gol para saber mais sobre os valores.

 

 

TAXA

Desde setembro de 2017 foi instaurada uma Taxa de Turismo Sustentável em Jeri. A taxa é no valor de R$5,00 por cada dia que o visitante permanecer na cidade. Pode ser paga através do site da prefeitura ou na entrada da cidade. Eles irão te entregar um recibo e você deverá guardá-lo para devolver na saída. Caso o número de diárias pagas for inferior a data de permanência, deverá ser paga a diferença na hora.

 

VOLTAGEM

A voltagem em Jeri é 220v. As ruas do Centro não tem iluminação pública, somente dos bares e restaurantes. E isso é um charme.

Todas as ruas são de areia de praia. Não possuem calçadas. Por isso meninas, nada de saltos ou sapatos fechados. Havaianas é sempre a melhor opção.

 

MELHOR ÉPOCA

Jeri deve ser maravilhoso o ano inteiro. Nós visitamos em outubro e apesar de feriado, não estava muvucado. Uma época perfeita pra quem quer praticar kitesurf. É lindo demais olhar pro mar e ver a galera praticando e dando seus saltos no ar. De agosto a dezembro é a epoca de seca. Menos possibilidade de pegar chuva. No entanto, se for muito pro fim do ano corre risco de pegar as lagoas bem vazias. De Janeiro a julho é a temporada de chuvas, sendo março, abril e maio os meses de maior probabilidade.

Nós fizemos muitas amizades com a galera que mora lá, e segundo eles, abril é a melhor época para aproveitar Jeri. Pode chover, mas é aquela chuva passageira. Por ser baixa temporada os preços são bem mais atraentes, desde a hospedagem até os restaurantes. Os passeios costumam ser tabelados, mas não custa nada barganhar.

E vocês, já conhecem Jeri ou também está na listinha de desejos?

Subir