Já pensou em visitar o maior museu ao ar livre da América Latina?

Nós morríamos de vontade, e conseguimos conhecer no Carnaval de 2017. Foi tudo decidido na semana, mas não há dificuldades em ir pra lá.

Optamos por ir de carro saindo do Rio com destino a Belo Horizonte, onde ficamos hospedados por 4 noites. Reservamos 2 dias inteiros para nossa visita ao Inhotim, que fica na cidade de Brumadinho. Acreditamos que foi a melhor escolha, assim pudemos ver tudo com calma.

 

Como chegar?

 

De carro

Saindo de BH, pegamos a BR 381 que foi o caminho que o Waze indicou ser mais rápido naquele momento. Há a opção pela BR 040 também. Nós levamos cerca de 1h30, e o trajeto foi bem tranquilo e sem pedágios.

De ônibus

Saída do Hotel Holiday Inn pela empresa Belvitur. Para compras e informações, clique aqui.

Saída da Rodoviária de Belo Horizonte pela empresa Saritur. Para compras e informações, clique aqui.

 

Ingressos

 

Atualmente a entrada do museu custa  R$ 44,00 (inteira) às terças, quintas, sextas, sábados, domingos e feriados.
Às Quartas-feiras (exceto feriado) a é entrada gratuita; e não abre às segundas-feiras.

É possível a compra online ou na própria bilheteria. Optamos por comprar na hora e a fila estava pequena.

É possível também a compra do transporte interno. O com rotas prédeterminadas custa R$30,00 por pessoa, e há também a opção do transporte exclusivo (carrinho para 5 pessoas: R$500 diária / R$200 por hora).

 

Alimentação

 

Dentro do Inhotim existem dois restaurantes, o Tamboril que é buffet livre com preço fixo e o Oiticica que é self-service. Comemos um em cada dia, mas achamos a cozinha do Oiticica bem mais gostosa. Sabe aquela comidinha com gosto de vó? Bem mineirinha…

 

Restaurante Tamboril

 

Restaurante Oiticica

 

Há também uma lanchonete para lanches mais rápidos. É possível levar lanches para aquelas horas que a fome aparece de repente.

 

Dicas para aproveitar melhor o museu

 

Nós tivemos tempo de conhecer todos os cantinhos do museu pois visitamos em dois dias. Caso só tenha um dia, também é possível aproveitar; mas talvez tenha que dar preferências pra determinadas obras.

Logo na entrada você pega um mapa gratuitamente; acredite, ele é indispensável já que o museu é enorme! Caso queira dar uma “estudada” antes, no site tem o mapa para download.

O Inhotim é dividido em 3 eixos. No primeiro dia nós optamos por fazer os eixos rosa e amarelo, e não contratamos o transporte interno. Pra chegar até a última obra do eixo rosa, o caminho é uma leve subida, mas se o ritmo for lento dá pra ir tranquilo.

 

 

No segundo dia fizemos algumas obras que ficaram faltando no eixo amarelo, e todo o eixo laranja. Nesse dia contratamos o transporte interno para essa rota, o que recomendo fortemente. É o eixo mais longo e com muitas subidas. Sorte que não exitamos em comprar, me arrependeria certamente.

 

 

De todo o museu, gostamos mais das obras do eixo laranja, pois a maior parte delas são interativas. Sem contar os belíssimos jardins que tem nessa parte.

 

No próximo post falarei sobre hospedagem em Belo Horizonte.

 

 

 

 

Subir